TRADUTOR/TRANSLATE

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Aisha NÃO TINHA 9 anos quando consumou seu casamento

Qual foi a Idade de Aisha no tempo do seu casamento?




Algumas notas do “Tehqiq-e-umar-e-Siddiqah-e-Ka’inat” por Habib-ur-Rahman Kandhalwi, tradução Pollyanna Meira, com alguns acréscimos.


Para começar, eu acho que é responsabilidade de todos aqueles que alegam que ((casar meninas de apenas nove anos de idade)) foi uma norma aceita da cultura árabe, então, que forneça pelo menos alguns exemplos históricos para fundamentar o seu ponto de vista. Eu ainda não fui capaz de encontrar uma única instância confiável nos livros de história árabe, onde uma menina de apenas nove anos de idade tenha sido dada em casamento. A menos que tais exemplos sejam dados, não temos quaisquer motivo razoável para acreditar que isso tenha sido realmente uma norma aceita.


Na minha opinião, a idade de Aisha foi grosseiramente mal relatada nos hadiths. Não só isso, eu acho que as narrativas que relatam este evento não são confiáveis, e que, com base em outros dados históricos, o evento relatado é um acontecimento bastante improvável. Vejamos a questão de um ponto de vista objetivo:


@A maioria dessas narrativas são relatadas apenas por Hisham ibn`Urwah informando sobre a autoridade de seu pai. Um evento tão conhecido, como o que está sendo relatado, deveria logicamente ter sido relatado por mais pessoas do que apenas uma, duas ou três. 


@É muito estranho que ninguém em Medina, onde Hisham ibn`Urwah viveu os primeiros 71 anos de sua vida, narrou o evento. Em Medina, em meio a seus alunos, haviam pessoas bem conhecidas como Malik ibn Anas. Todas as narrativas deste evento foram relatadas por pessoas do Iraque, para onde Hisham mudou depois de viver em Medina por 71 anos.


@Tehzibu'l-tehzib, um dos livros mais conhecidos sobre a vida e a confiabilidade dos narradores das tradições do Profeta, narra que de acordo com Yaqub ibn Shaibah: "narrativas relatadas por Hisham são confiáveis, exceto aquelas que são relatadas através do povo do Iraque". Afirma ainda que: "Malik ibn Anas se opôs a essas narrativas de Hisham, que foram passadas através de pessoas do Iraque." (vol. 11, pág. 48-51)


@Mizanu'l-ai`tidal, outro livro sobre os narradores das tradições do Profeta, relata que: "Quando Hisham estava velho, sua memória era muito fraca." (vol 4, pág. 301-302)


@Segundo a tradição geralmente aceita, Aisha nasceu cerca de oito anos antes da Hégira, mas de acordo com uma outra narrativa, em Bukhari (kitabu'l-tafseer), é relatado que Aisha tinha dito, no momento em que a Surata Al-Qamar foi revelado, o capítulo 54 do Alcorão: "Eu era uma menina ". O capítulo 54 do Alcorão foi revelado nove anos antes da Hégira. De acordo com essa tradição, Aisha não só tinha nascido antes da revelação da Surata, mas na verdade era um jovem (jariyah), e não uma criança (sibyah) naquela época. Obviamente, se essa narrativa for verdadeira, ela está em clara contradição com as narrativas relatadas por Hisham ibn`Urwah. Não vejo absolutamente nenhuma razão para, após os comentários dos especialistas sobre as narrativas de Hisham ibn`Urwah,  não aceitarmos essa outra como sendo mais exata.





@De acordo com uma série de narrativas, Aisha acompanhou os muçulmanos na batalha de Badr e Uhud. Além disso, também é relatado em livros de  história que ninguém, sob a idade de 15 anos, foi autorizado a tomar parte na batalha de Uhud. Todos os meninos com menos de 15 anos de idade foram mandados de volta.  A participação de Aisha na batalha de Badr e Uhud indicam claramente que ela não tinha nove ou dez anos de idade na época. Afinal, as mulheres costumavam acompanhar os homens para os campos de batalha para ajudá-los, não para ser um fardo.


@De acordo com quase todos os historiadores Asma, a irmã mais velha de Aisha, era dez anos mais velha que ela. É relatado em Taqri'bu'l-tehzi'b assim como em Al-bidayah wa'l-nihayah que Asma morreu em 73 da Hégira, quando tinha 100 anos de idade. Agora, obviamente, se Asma tinha 100 anos de idade em 73 da Hégira, ela deveria ter tido 27 ou 28 anos de idade no momento da Hégira. Se Asma tinha 27 ou 28 anos de idade no momento da Hégira, Aisha deveria estar com 17 ou 18 anos de idade na época. Assim, se Aisha se casou em 1 AH (Hégira) ou 2 AH, ela estava com idade entre 18 a 20 anos de idade na época do seu casamento.


@Tabari em seu tratado sobre a história islâmica, ao mencionar Abu Bakr, relata que Abu Bakr teve quatro filhos e todos os quatro nasceram durante a Jahiliyyah -  período pré-islâmico. Obviamente, se Aisha nasceu no período da jahiliyyah ela não poderia ter menos de 14 anos, em 1AH - o tempo em que ela provavelmente se casou.


@De acordo com o historiador Ibn Hisham, Aisha aceitou o Islã algum tempo antes de Umar ibn Khattab. Isso mostra que ela aceitou o Islã durante o primeiro ano do Islã. Se a narrativa do casamento dela aos sete anos de idade fosse verdade, Aisha não teria nascido durante o primeiro ano do Islã.


@Tabari também relatou que no momento em que Abu Bakr planejava migrar para Habshah (8 anos antes da Hégira), ele foi a Mut`am e pediu para ele considerar Aisha em sua casa, como sendo esposa de seu filho. Mut`am se recusou, porque Abu Bakr tinha abraçado o Islã, e, posteriormente, seu filho divorciou-se dela. Agora, se Aisha tinha apenas sete anos de idade na época do seu casamento, ela não nasceu na época em que Abu Bakr decidiu migrar para Habshah. Com base neste relato parece razoável supor que Aisha não só tinha nascido oito anos antes da Hégira, como também foi uma jovem senhora, e muito preparada para o casamento.


@De acordo com uma narrativa relatada por Ahmad ibn Hanbal, depois da morte de Khadija, quando Khaulah veio ao Profeta aconselhando-o a se casar novamente, o Profeta perguntou a respeito das escolhas que ele tinha. Khaulah disse: "Você pode se casar com uma virgem (bikr) ou uma mulher que já foi casada (thayyib)". Quando o Profeta perguntou sobre quem era a virgem, Khaulah propôs o nome de Aisha. Todos aqueles que conhecem a língua árabe, estão cientes de que a palavra "bikr" na língua árabe não é usada para uma menina de nove anos de idade imatura. A palavra correta para uma jovem brincalhona, como dito anteriormente é "Jariyah". "Bikr", por outro lado é usado para uma senhora solteira, e, obviamente, uma criança de nove anos de idade não é uma "senhora".


@De acordo com Ibn Hajar, Fátima era cinco anos mais velha que Aisha. Fátima nasceu quando o Profeta tinha 35 anos. Assim, mesmo se esta informação seja correta, Aisha não poderia de modo algum ter menos de 14 anos de idade no momento da Hégira, e 15 ou 16 anos de idade na época do seu casamento, mas +ou - 19 na época.


Segundo o alcorão:


O Alcorão equipara idade de se casar a um julgamento maduro:


"Custodiai os órfãos, até que cheguem a idades núbeis. Se porventura observardes amadurecimento neles, entregai-lhes, então, os patrimônios; porém, abstende-vos de consumi-los desperdiçada e apressadamente, (temendo) que alcancem a maioridade. Quem for rico, que se abstenha de usá-los; mas, quem for pobre, que disponha deles com moderação." 4:6


Por favor, preste atenção aqui. Idade do casamento é equiparado ao julgamento maduro; uma idade em que uma pessoa pode lidar responsavelmente com suas posses. 


Pelo amor de Deus, você está realmente tentando me dizer que uma pessoa é boa em juízo com a tenra idade de, digamos, 9, 12, 16 anos? Dá um tempo!

É ilógico supor que crianças dessas idades tenham um nível intelectual maduro. Afinal, esses anos são destinados a ser uma curva de aprendizado para a criança.

Além disso, tais cenários são, por padrão, estupro de crianças, uma vez que as crianças não têm consciência sexual desenvolvida e amadurecida para compreender o sexo. Para piorar as coisas,  envolve imposição psicológica e sexual de um homem sobre uma garota que, em seguida, se rende às circunstâncias, provavelmente gerando cicatrizes para toda a vida.


E se você é como eu que acredita que hadiths são histórias de estudiosos e que o único livro de orientação para a humanidade é o alcorão, então acho ótimo! Porque mesmo que não fossem apenas contos, Deus nos diz que irá proteger o alcorão da corrupção, apenas o alcorão, não existe nada sobre livros escritos por estudiosos. Lembrando que Deus chega até mesmo a nos advertir sobre falsos hadiths que iriam aparecer:


Wamina alnnasi man yashtaree lahwa alhadithi liyudilla aaan sabeeli Allahi bighayri aailmin wayattakhithaha huzuwan ola-ika lahum aaathabun muheenun.


Entre os humanos, há aqueles que entabulam vãs hadiths, para com isso desviar nesciamente (os seus semelhantes) da senda de Deus, escarnecendo-a. Estes sofrerão um castigo ignominioso! 31:6

Nenhum comentário:

Postar um comentário