TRADUTOR/TRANSLATE

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Cortar a mão de quem rouba, é a verdadeira punição no islã?


"E se você punir, puna com o equivalente ao qual foi prejudicado. Mas se você for paciente - é melhor para aqueles que são pacientes."

16: 126

Muitas palavras no Alcorão possuem significados figurados = majazi e  literais = haqiqi 

5:38, "O ladrão ou ladra, você deve <eqta'u> <aydiyahuma> como punição por seu crime, para servir como um elemento dissuasor de Deus. Deus é Todo-Poderoso, Prudentíssimo." 

5:39: "Se alguém se arrepender após cometer este crime, e se emendar, Deus o absolverá. Deus é Perdoador, Misericordioso." 

A palavra <eqta'u> em árabe significa cortar, enquanto <aydiyahuma> refere-se a mãos (três ou mais) do/a ladrão/a. Assim, a expressão <eqta'u> <aydiyahuma>, na aya 05:38 acima, fica, literalmente,  "cortar suas (três ou mais) mãos." Portanto, 5:38 lê-se literalmente: 

5:38, "O/a ladrão ou ladra, você deve cortar suas (três ou mais) mãos como punição por seu crime, para servir como um elemento dissuasor de Deus. Deus é Todo-Poderoso, Prudentíssimo."

Primeira compreensão literal

O primeiro entendimento diz que 5:38 significa cortar a mão do ladrão. Não estou de acordo com esse entendimento pelas seguintes razões: Em primeiro lugar, a palavra <aydiyahuma> em árabe é o plural (três ou mais) de <yad> (mão) utilizado na forma dupla. Como sabemos, cada um de nós tem, normalmente, apenas duas mãos, incluindo os ladrões. Como podemos cortar as mãos (três ou mais) de um ladrão? Mesmo se aceitarmos que as mãos nesta aya, referem-se às mãos de mais de um ladrão, então, devemos cortar as duas mãos de cada ladrão?
(Mesmo na sharia a punição é cortar apenas uma mão, não as 4 de dois ladrões, se for o caso)

Em segundo lugar, como quem perdeu seus bens roubados vai se beneficiar se não recuperar o que perdeu? 
E o que aconteceria se alguém fosse acusado erroneamente ou maliciosamente de roubo e suas mãos já tivessem sido cortadas? 
E se alguém, que não tem mãos, usa apenas o seu cérebro para planejar os roubos para seus cúmplices? Esta não é uma ficção; isso aconteceu.

Em terceiro lugar, como poderia a aya acima 5:39 ser aplicada se alguém tem suas mãos cortadas, se arrepende mais tarde e se reforma? Em outras palavras, se cortar as mãos na aya 05:38 traduzido literalmente significa cortar as mãos, em seguida,a aya 05:39 não pode acontecer na lógica e no senso comum. Vamos supor que alguém rouba alguma coisa e paga o preço alto de suas mãos sendo cortadas. Em seguida, ele ou ela se arrepende e muda. O que significa:

"Deus irá resgata-lo. Deus é Perdoador, Misericordioso"? (5:39).

Como ele ou ela vai ser resgatado/a, uma vez que ele ou ela perdeu as mãos? 
Como ele ou ela poderia merecer uma segunda chance, sem suas mãos? De fato, a compreensão cortar as mãos, como cortar as mãos, literalmente, não se sustenta na lógica e no senso comum do contexto destas duas ayat 5:38-39 em particular, e no contexto do Alcorão em geral.

Segundo Entendimento Literal

O segundo entendimento que foi proposto para a aya 05:38 é para que marcássemos a mão do ladrão. Este entendimento vai contra os mesmos problemas que o primeiro. Além dos mesmos problemas acima referidos, temos um específico para este caso. Com todos os avanços da cirurgia estética, e se alguém conseguisse roubar milhões e pagasse alguns milhares por uma cirurgia estética para esconder as marcas de suas mãos? Os criminosos hoje em dia atravessariam uma cirurgia a fim de se esconderem da justiça e das pessoas.

Além disso, as ayat 00:31 e 12:50 foram usadas para transmitir esse significado de marcar as mãos para 05:38.

0:31, ".. Quando as (mulheres) viram (José), elas o exaltaram, e cortaram <qatta'a> suas mãos ..."

No entanto, 00:31 e 00:50 não usam as palavras exatas como 05:38. Eles usam a variação árabe <qatta'a> de <qata'a> "corte" utilizado em 5:38. Mesmo se alguém concorda que ambos têm o mesmo significado, a mesma palavra é usada em <qatta'a> 5:33, 7:124, 20:71, 26:49, como cortar ou amputar.

05:33: "O castigo para aqueles que lutam contra Deus e Seu Mensageiro, e cometem a corrupção na terra, é para ser morto, ou crucificado, ou para cortar/amputar <qatta'a> suas mãos e pés em lados alternados, ou ser banido da terra ... "

Portanto, por que alguém deveria usar 12:31 e 12:50 para transmitir o significado "marcar", e não 5:33, 7:124, 20:71, 26:49 para transmitir o significado de "cortar/amputar"?

Entendimento não-literal

Vamos considerar agora o terceiro significado e o mais próximo ao espírito do Alcorão. A punição é, cortar os recursos e o poder dos ladrões. Aqui estão três razões que suportam esta compreensão não-literal.

1. Primeiro, a palavra <yad> em árabe (em duplo plural em 5:38 acima) ou "mão" é usado no Alcorão em seus significados literais e figurativos. Por exemplo, 27:12 usa em seu sentido literal, enquanto 5:64 usa-o em sua versão figurativa para se referir à riqueza e recursos.

27:12: "Coloque sua mão <yad> (O Moisés) em seu bolso, ela vai sair branca, sem uma mancha. Estes estão entre os nove sinais <ayat> ao Faraó e seu povo, pois eles são pessoas más.".

5:64, "Mesmos os judeus disseram," a mão de Deus está <yad> amarrada! "É suas mãos <yad> que estão amarradas. Eles são condenados por proferir tal blasfêmia. Vez disso, sua duas mãos <yad> estão abertas, gastando como quer ... "

Outro exemplo para o significado não-literal é 38:45. Ele usa <yad> no plural (três ou mais). Ela transmite o significado de poder e posse de recursos.

38:45: "Lembre-se também dos nossos servos Abraão, Isaque e Jacó. Eram engenhosos <ulu al-aydee> (com muitas mãos), e possuíam visão / Eles possuíam poder e visão."

<yad> também é usado para inferir ações e feitos (2:195, 22:10) de alguém. É usado também para significar a posse de uma responsabilidade ou um contrato (2:237).

Portanto, <eqta'u aydiyahuma> na aya 5:38 acima significa cortar os recursos e poder dos ladrões.

5:38, "O/a ladrão ou ladra, vocês devem tirar seus recursos e poder, como punição pelos seus crimes, para servir como um elemento dissuasor de Deus. Deus é Todo-Poderoso, Prudentíssimo."

Assim, a aya 05:39 05:38 que se segue faz todo o sentido.

5:39: "Se alguém se arrepende após cometer este crime, e se reforma, Deus vai redimi-lo. Deus é Perdoador, Misericordioso."

2. Em segundo lugar, vamos considerar o caso de assassinato no Alcorão, que é um crime pior do que roubar. Há duas punições terrenas. 4:92 lida com morte acidental de um crente. A pena de morte nem a prisão estão envolvidas. 2:178 trata do segundo caso, quando alguém tencionou a morte. Esta aya dá a opção de poupar a vida do assassino. Em ambos os casos, há o resgate envolvido, se possível. Porque quando alguém é morto, uma fonte de renda é cortada de sua família e, portanto, deve ser compensada. Em ambos os casos, a punição não é tão alta como o corte ou marcação das mãos se fosse o caso em 05:38.

**3. Último, mas não menos importante. A sura 12 nos dá um bom exemplo de como punir os ladrões:

"E quando lhes forneceu as provisões, colocou uma ânfora no alforje do seu irmão; logo um arauto gritou: Ó caravaneiros, sois uns ladrões!" 

"Disseram, acercando-se deles (o arauto e os servos de José): Que haveis perdido?"

"Responderam-lhes: Perdemos a ânfora do rei e quem a restituir receberá a carga de um camelo. (E o arauto disse): E eu garanto isso."

"Disseram: Amparamo-nos em Deus! Bem sabeis que não viemos para corromper a terra (egípcia) e que não somos ladrões!"

"Perguntaram-lhes: Qual será, então, o castigo, se fordes mentirosos?"

"Responderam: Aquele cujo alforje se achar a ânfora será retido como escravo; assim castigamos os iníquos."

"E começou ele a revistar os alforjes, deixando o de seu irmão Benjamim por último; depois tirou-a do alforje deste. Assim inspiramos a José esta argúcia, porque de outra maneira não teria podido apoderar-se do irmão, seguindo uma lei do rei, exceto se Deus o quisesse. Nós elevamos as dignidades de quem queremos, e acima de todo o conhecedor está o Onisciente."

"Disseram (os irmãos): Se Benjamim roubou, um irmão seu já havia roubado antes dele! Porém, José dissimulou aquilo e não se manifestou a eles, e disse para si: Estais em pior situação; e Deus bem sabe o que inventais."

"Disseram, então: Ó excelência, em verdade ele tem um pai ancião respeitável; aceita, pois, em seu lugar um de nós, porque te consideramos um dos benfeitores."

"Respondeu-lhes: Deus me perdoe! Não reteremos senão aquele em cujo poder encontrarmos a nossa ânfora, porque do contrários seríamos iníquos." 12:70,79

A maneira como eu entendo as ayat acima é esta e aqui esta a lei de Deus para quem roubou na aplicação.

00:07: "Em José e seus irmãos há lições para os buscadores."

José e seus irmãos eram depositantes e filhos de Jacó e  bisnetos de Abraão.

12:38: "E eu (Joseph), sigo, em vez da religião <deen> de meus antepassados, Abraão, Isaac e Jacob. Nós não temos o direito de cometer shikr (associar parceiros) a Deus. Essa é a bênção de Deus sobre nós e sobre as pessoas, mas a maioria das pessoas são insensatas. "

É muito claro desde as ayat acima que eles não estavam seguindo a lei do rei, para castigar os ladrões, mas sim a lei de Deus.

12:76: "... Nós, assim, aperfeiçoamos o esquema para Joseph, ele não poderia ter mantido o seu irmão se ele aplicasse a lei  <deen> do rei, mas isso foi a vontade de Deus ...".

Primeiro aos ladrões presumidos foi dada a oportunidade de vir à frente, reconhecer seus erros e, em seguida, devolverem o que roubaram. Eles podem até receber uma recompensa.

Segundo, se eles não fizerem isso, eles devem ser comprovados como ladrões. Então, o que foi roubado, dever ser encontrado e deve ser restituído aos seus proprietários. Ladrões devem trabalhar para pagar as taxas envolvidas em todo o processo. Eles também devem trabalhar para pagar o que foi roubado no caso de não devolverem a totalidade do que foi roubado.

Além disso, a aya 05:38 refere-se ao ladrão. Se alguém rouba, pela primeira vez, vem à frente e reconhece o seu delito, ele ou ela não é chamado/a de ladrão/a. A aya 05:38 não se aplica a esses.

Este processo posto em aplicação da pena de roubo declarado em 5:38  é cortar os recursos e poder dos ladrões. Ele também deixa a porta aberta para que os ladrões se arrependam e mudem como Deus diz em 5:39. Todo este processo é o que é aplicado a ladrões em algumas áreas rurais muçulmanas.

Estas ayat nos dá também um exemplo de alguém que foi criado por roubo, por uma boa razão, é claro. Mas, o que aconteceria com alguém que foi criado de forma maliciosa e tem de enfrentar a marcação ou corte de suas duas mãos?

José não sabia que o castigo de Deus para o roubo é cortar ou marcar as mãos (que teria se aplicado aos irmãos)  ele não fez as coisas dessa forma, a fim de manter seu irmão com ele.

Alguém dirá que era a lei de Deus para roubo para as comunidades anteriores e não estamos vinculados a elas. Bem, quando Deus quer mudar alguma coisa, Ele especifica (2:187). Além disso, o Alcorão especifica quando algumas leis se aplicam apenas para algumas comunidades (16:118) e, portanto, não somos obrigados a aplicá-las.

O corte ou marcação das mãos como um castigo para os ladrões entra em contradições dentro do Alcorão. No entanto, o significado de "cortar as mãos " em 5:38, como o corte de recursos e poder, como o caso do castigo de assassinato no Alcorão, e o exemplo da lei de Deus em aplicação em 12:70-79 dos ladrões são os três argumentos, que colocamos neste artigo para propor uma punição mais próxima do espírito do Alcorão para o roubo. Ele vai como segue. Deve ser dada a possibilidade aos ladrões de virem à frente, reconhecerem seus crimes, e devolverem o que roubaram das vítimas. Eles podem até receber uma recompensa. Se eles não assumirem, deve-se provar que eles realmente são ladrões. Os Ladrões devem, então, trabalhar para pagar as taxas envolvidas pela coisa toda. O que foi roubado, se encontrado, deve ser restituído aos seus proprietários. Caso contrário, os ladrões devem trabalhar para eles até que eles tenham o que foi roubado, restituído.

Começamos este artigo com a primeira aya da sura 12, que nos diz que Deus nos narra as melhores histórias. Vimos como, na verdade, poderíamos aplicar a história do roubo desta sura para deduzir o significado da punição para o roubo e sua aplicação como indicado em 5:38-39. Concluímos este artigo com a última aya da mesma sura 12.

12:111, "Em suas histórias, há uma lição para aqueles que possuem inteligência. Este não é um <hadith> (narração) fabricado;. Este (Alcorão) autêntico é o que está entre as suas mãos, e fornece os detalhes de tudo o que Ele é. um farol e uma misericórdia para aqueles que acreditam. "

Resumindo:

Já vimos bem que a punição do corte das mãos não pode ser possível levando em consideração 1- O arrependimento do ladrão, 2- A punição não pode ter volta, 3- O caso do ladrão ser reincidente por ex. mais de 2 vezes, 4- É usada simbolicamente em outros trechos do alcorão 5- O caso de José nos dá um bom exemplo -no alcorão- de como um ladrão deve ser tratado, (o corte dos meios, para que o ladrão pague sua dívida, se arrependa e para que seja restituído o que a vítima perdeu) parece, sem sombra de dúvida, mas justo para todos os lados e de acordo com a misericórdia de Deus.

Deus abençoe a todos, paz.


6 comentários:

  1. O teor de seu texto, rico em detalhes e em referências do Corão, dá a entender que você é uma estudiosa que tem um bom conhecimento das doutrinas islâmicas. A questão que apontei no meu comentário no YouTube é que o muçulmano médio, sempre tendencioso a interpretações mais literais dos preceitos corânicos, dificilmente vai ser tão comedido, sensato e sóbrio como você parece ser. Tenho certeza que não preciso te convencer que um garoto pobre, alienado e sem qualquer perspectiva de futuro numa madrassa em Peshawar não vai interpretar essa passagem do mesmo jeito que você. A linguagem belicista empregada em boa parte do Corão e da Haddith infelizmente dá margem a todo tipo de interpretação radical e é exatamente por isso que considero o islã político radical a maior ameaça à estabilidade mundial de nossos tempos. Atente que não estou dizendo que isso é um problema exclusivo do Corão. Eu sei que há passagens aterradoras no Antigo Testamento, por exemplo, mas, com o advento da Boa Nova de Cristo, que inaugurou o Novo Testamento, o que antes era olho por olho, dente por dente, se converteu no " ofereça a outra face" cristão. Não há Novo Testamento no Corão. Estou certo de que se alguém resolvesse viver exatamente como Cristo viveu, isso não se configuraria em qualquer ameaça a não-cristãos. Não posso dizer o mesmo de alguém que resolvesse emular Mohammed.

    ResponderExcluir
  2. Por isso vi um video no qual as dua maos de um homem sao decepedas ,e as vezes os pes tambem ,peloq entendi o direitio e de caordocom aquantidade roubada ,certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu não sei exatamente como funciona a lei nesses países, mas estou certa que cortar membros não tem amparo corânico

      Excluir
  3. POXA POXA POXA POXA

    O alcorão não ordena que o Ladrão seja cortado ou abusado as mão, mas a Bíblia sim Jesus ensinou literalmente que devia ser cortado as mãos todo aquele que:.....

    MATEUS 18: Mateus 18

    Mateus 18

     Ouvir

    1 Naquela mesma hora chegaram os discípulos ao pé de Jesus, dizendo: Quem é o maior no reino dos céus?

    2 E Jesus, chamando um menino, o pôs no meio deles,

    3 E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus.

    4 Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus.

    5 E qualquer que receber em meu nome um menino, tal como este, a mim me recebe.

    6 Mas, qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar.

    7 Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem!

    8 Portanto, se a tua mão ou o teu pé te escandalizar, corta-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo, ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno.

    9 E, se o teu olho te escandalizar, arranca-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida com um só olho, do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno.

    10 Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêem a face de meu Pai que está nos céus.

    11 Porque o Filho do homem veio salvar o que se tinha perdido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa mas tenho que discordar.

      A Bíblia deve ser devidamente compreendida dentro do contexto exposto e ter o discernimento espiritual também.

      Jesus falava em parábolas a seus discípulos, e nem tudo vai ser levado "ao pé da letra". Quando Jesus disse para arrancar as mãos e olhos que pecam, é no sentido de nos livramos do que no faz pecar e não literalmente para nos mutilar.
      Por exemplo, a pornografia te faz pecar, pare de ver e se santifique, você rouba coisas, pare de roubar se arrependa e nunca mais pratique o crime, etc.
      Imagina só a situação, todos nós pecamos diariamente, imagina se todo mundo que pecar tivesse que arrancar uma parte do corpo que cometeu o pecado, iria todo mundo aleijado pro céu! #Paz

      Excluir
  4. "Portanto, se a TUA MÃO ou o TEU PÉ...CORTA-O, e ATIRA-O... (Bíblia Sagrada:palavras de Jesus)
    Alcorão:191-5:38 - ... DECEPAI-LHES a mão...
    Percebe-se a facilidade de não se usar, devidamente, os verbos para a interpretação dos textos.

    ResponderExcluir