TRADUTOR/TRANSLATE

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

NÃO PODEMOS (NUNCA) CONCORDAR COM CASAMENTO/GRAVIDEZ EM TENRA IDADE.

Gravidez é a maior causa de morte entre adolescentes.

Gravidez precoce mata mais de 70 mil menores por ano.


200 mães adolescentes morrem todos os dias devido a complicações relacionadas com a gravidez precoce e o parto.


David Utting,  especialista em obstetrícia e ginecologia em Kingston Hospital NHS Trust, disse: "fatos claros sobre a fertilidade precisam estar disponíveis para as mulheres de todas as idades, para lembrá-las que a idade mais segura para engravidar ainda permanece entre os 20-35."


Dr. Tony Falconer, presidente do Royal College de Obstetras e Ginecologistas (RCOG) "Não há dúvida de que entre 20 e 35 é a melhor hora  para as mulheres terem os seus filhos."


As crianças que nascem de mães adolescentes também têm uma ampla gama de problemas. Por exemplo:


@Têm menos habilidades e são menos preparadas para aprender quando entram no jardim de infância.  


@Têm problemas comportamentais e doenças crônicas.


@Dependem mais pesadamente de financiamentos públicos de saúde.


@Têm maiores chances de serem presas em algum momento durante a adolescência.


@Saem da escola mais jovens.


@Dão a luz também na fase da adolescência.


@Ficam desempregadas ou em subempregadas na fase jovem-adulto.


Possíveis complicações na gravidez:


@A gravidez na adolescência está associada a taxas mais elevadas de doença e de morte para a mãe e o bebê. 


@A morte por violência é a segunda principal causa de morte durante a gravidez para as adolescentes, e é maior em adolescentes do que em qualquer outro grupo.


Adolescentes grávidas tem um risco muito maior para adquirir complicações médicas graves, tais como:


@A placenta prévia


@Hipertensão induzida pela gravidez


@Parto prematuro


@Anemia significativa


@Toxemia


@Bebés nascidos de adolescentes são 2-6 vezes mais propensos a ter baixo peso ao nascimento do que aqueles nascidos de mães de 20 anos ou mais. Prematuridade desempenha o papel mais importante no baixo peso ao nascer, mas o retardo do crescimento intrauterino (crescimento inadequado do feto durante a gravidez) também é um fator.


@Mães adolescentes são mais propensas a ter hábitos pouco saudáveis que colocam a criança em maior risco de crescimento inadequado, infecção ou dependência química. 


@Quanto mais jovem a mãe está abaixo dos 20 anos, maior é o risco de o seu bebé morrer durante o primeiro ano de vida.


Prepare-se para o futuro


Gravidez na adolescência, muitas vezes tem um impacto negativo sobre o futuro de uma adolescente. Mães adolescentes têm menos probabilidade de concluir o ensino médio e cursar a faculdade, são mais propensas a viver em situação de pobreza e estão em risco de violência doméstica. Pais adolescentes tendem a terminar menos anos de escola do que os pais mais velhos. Eles também são menos propensos a ganhar um salário digno e ter um emprego estável. Além disso, os filhos de pais adolescentes são mais propensos a ter problemas de saúde e cognitivos e são mais propensos a ser negligenciadas ou abusados. Meninas nascidas de pais adolescentes são mais propensas a experimentar a gravidez na adolescência.


O casamento infantil está profundamente enraizado em tradições culturais, que podem ser difíceis de mudar. As meninas que se casam quando crianças muitas vezes são mais suscetíveis aos riscos de saúde associados com a iniciação sexual precoce e gravidez, incluindo o HIV e fístula obstétrica. Essas meninas são muitas vezes vítimas de violência doméstica, abuso sexual e isolamento social. Além disso, o casamento precoce quase sempre priva as meninas de sua educação ou trabalho significativo, o que contribui para a pobreza persistente.


O casamento precoce inevitavelmente nega às crianças em idade escolar o direito à educação de que precisam para o seu desenvolvimento pessoal, a sua preparação para a vida adulta, e sua contribuição efetiva para o futuro bem-estar de sua família e da sociedade. Na verdade, as meninas casadas que gostariam de continuar a escolaridade podem ser ao mesmo tempo  legalmente impedidas de o fazer.


A pobreza é um dos principais fatores que sustentam o casamento precoce. Onde a pobreza é aguda, uma jovem pode ser considerada como um fardo econômico, e seu casamento com um homem muito mais velho - às vezes até idosos - é a maneira que a família encontra para ficarem livres do "fardo".


A noção de boa saúde reprodutiva abrange todos os aspectos da reprodução, a capacidade de reproduzir e a liberdade de decidir  quando quer ter um filho. O direito de não se envolver em relações sexuais e  o direito de exercer o controle sobre a reprodução podem ser violados pelo casamento precoce.


Adolescentes também são mais suscetíveis do que as mulheres mais maduras às infecções sexualmente transmissíveis (DSTs), incluindo HIV. Este é o resultado de ambos os fatores biológicos e fatores sociais, tais como as relações de poder distorcidas entre mulheres e homens, que tornam difícil para as meninas e jovens mulheres negociar o sexo seguro. IST pode levar à infertilidade, e, no caso do HIV, o resultado é a mortalidade precoce e os riscos de transmissão para o feto.


A gravidez e o parto


Os riscos de uma gravidez precoce e o parto estão bem documentados. Aumento do risco de morte, aumento do risco de parto prematuro, complicações durante o parto, baixo peso ao nascer, e uma maior chance do recém-nascido não sobreviver. Mortes relacionadas com a gravidez são a principal causa de mortalidade por 15-19 anos de idade de meninas (casadas e solteiras) no mundo todo. As mães nessa faixa etária enfrentam um número de 20 a 200 por cento maiores de morrer durante a gravidez que as mulheres com idade entre 20 e 24 anos. As menores de 15 anos têm cinco vezes mais probabilidades de morrer que as mulheres na casa dos vinte.


Incidindo sobre os custos sociais, econômicos e ambientais para o país que não dispõem de recursos para garantir uma boa qualidade de vida para suas populações que crescem rapidamente. A esta luz, o casamento precoce pode ter profundas consequências sociais e econômicas para a sociedade como um todo. Estas consequências são reforçadas pelo fato de que os filhos de mães jovens e analfabetas tendem a enfrentar o mesmo ciclo de privação na infância e danos experimentados por suas mães.


Mulheres adolescentes e seus bebês: em risco de lesão, doença e morte


Adolescentes de 15 a  19  anos são duas vezes mais propensas a morrer durante a gravidez ou no nascimento da criança, em relação com aquelas com mais de 20 anos de idade; meninas menores de 15 anos têm cinco vezes mais chances de morrer.


A cada ano, pelo menos dois milhões de mulheres jovens nos países em desenvolvimento passam por aborto inseguro.


O aborto inseguro pode ter consequências devastadoras, incluindo a ruptura cervical, útero perfurado, hemorragia, infecção pélvica crônica, infertilidade e morte.


Na Nigéria, as complicações por aborto são responsáveis por 72 por cento de todas as mortes de mulheres jovens com menos de 19 anos de idade; além disso, a metade (50 por cento) de todas as mortes maternas resultam de abortos ilegais entre adolescentes nigerianos.


Os bebês de adolescentes estão em maior risco de morte. Na verdade, os bebês de mães adolescentes têm maior probabilidade de morrer antes de seu primeiro aniversário do que os filhos de mães mais velhas.


Complicações durante o parto são responsáveis por quase 25 por cento das mortes de recém-nascidos.


Parto prematuro e baixo peso ao nascer são outras razões para as mortes entre recém-nascidos de mães adolescentes.


SE TODOS ESSES MALEFÍCIOS ACONTECEM AGORA, COM O DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE, IMAGINA EM TEMPOS MAIS ANTIGOS! NÃO VEJO COMO UM PROFETA OU UM DEUS PODERIAM CONCORDAR COM CASAMENTOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, ISSO É IDEIA DE HOMENS PEDÓFILOS E SUJOS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário