TRADUTOR/TRANSLATE

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

No verdadeiro islã casamento com crianças não existe.

Todos os muçulmanos concordam que o Alcorão é o nosso livro de orientação, então, precisamos buscar a orientação no Alcorão para limpar a fumaça e a confusão criada pelos homens. Será que o Alcorão aprova casamento na infância/adolescência?

Não há versos que permitam tal casamento. No entanto, eu encontrei um versículo que nos guia em nosso dever de educar uma criança com a morte de um ou ambos os pais. Eu acredito, que a orientação do Alcorão sobre o tema das crianças órfãs também seja válido no caso de nossos próprios filhos. O versículo afirma:


Não entregueis aos fracos de mente o vosso patrimônio, cujo manejo Deus vos confiou, mas mantende-os, vesti-os e tratai-os humanamente, dirigindo-vos a eles com benevolência.  Custodiai os órfãos, até que cheguem a idades núbeis. Se porventura observardes amadurecimento neles, entregai-lhes, então, os patrimônios ...4:5-6 ) .


Na questão das crianças que perderam um pai, um muçulmano é responsável por (a) alimentá-los, (b) vesti-los, (c) educá-los, e (d) testá-los a maturidade "até a idade do casamento" antes de confiar-lhes a gestão das finanças. Aqui, o versículo ((do Alcorão exige prova meticuloso da sua maturidade intelectual e física, por resultados de testes objetivos antes da idade do casamento)) a fim de entregar a propriedade deles.


À luz do versículo acima, nenhum muçulmano responsável, entregaria gestão financeira a uma criança ou pré-adolescente. Se não podemos confiar em uma criança ou adolescente a gestão das questões financeiras, igualmente ela não pode ser intelectualmente ou fisicamente apta para o casamento.


No caso de Aisha, que é tão comentado, e que todo mundo simplesmente insiste em acreditar no mito da noiva criança, Ibn Hambal (REF: Ahmad ibn Musnad Hambal , vol.6 , p. 33 e 99) afirma que Aisha com a idade de nove estava mais interessada em brincar com brinquedos/cavalos que assumir a responsabilidade de uma esposa. Portanto, eu não acredito que Abu Baker, um grande moimin, entregou sua imatura filha de sete anos de idade para um homem de cinqüenta anos de idade. Da mesma forma, eu não acredito que o Profeta se casou com uma criança de sete anos de idade.


As pessoas simplesmente usam "hadiths" infundados, contraditórios e que não deveriam ser postos como fontes do nosso deen, para legalizar a pedofilia, na verdade muito desses "hadiths" nos remetem a um tempo de muita ignorância, para o período pré-islâmico, onde as mulheres não tinha qualquer valor, a um tempo onde o povo árabe era um povo pagão e idólatra. Na verdade quem segue tais hadiths está misturando islã, paganismo e cultura árabe pré-islâmica. Quem segue estudiosos que proclamam tais coisas deveria ter vergonha e abaixar a cabeça em humilhação, pois muitas garotas inocentes são dadas em casamento e violadas por conta disso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário